Tratamento Reflexologia

Imprimir Por Administrador 03/12/2007

MENSAGEM PARA 2017

Prezado (a) Amigo (a), como vai?
Chamo-me RODOLFO CORREA LIMA e sou Presidente do CECTH ‚Äď Centro de Estudos do Corpo e Terapias Hol√≠sticas S/C Ltda.
Faço um convite para que venha conhecer nossa empresa.




Saiba mais, clique no link


O QUE √Č REFLEXOLOGIA?

A Reflexologia √© uma terapia complementar que compreende o tratamento de v√°rios dist√ļrbios pela aplica√ß√£o de press√£o nos p√©s ou m√£os. O tratamento de todo o corpo √© feito atrav√©s de determinados pontos, em √°reas precisas dos p√©s e das m√£os, relacionadas a regi√Ķes particulares do corpo chamadas ‚Äúzonas reflexas‚ÄĚ.

O tratamento compreende a aplica√ß√£o de press√£o com a ponta do polegar ou dos dedos sobre pontos reflexos precisos. Aplica-se uma press√£o firme mas n√£o muito forte, e a pessoa que recebe o tratamento experimentar√° sensa√ß√Ķes diferentes nas zonas dos p√©s ou das m√£os. Essas sensa√ß√Ķes s√£o interpretadas pelo terapeuta, indicando quais partes do corpo e est√£o funcionando bem e quais n√£o est√£o. De acordo com o grau de desconforto, maior ou menor, experimentado nas zonas pressionadas, √© poss√≠vel saber que partes correspondentes do corpo registram maior ou menor desequil√≠brio.

A reflexologia √© tamb√©m uma t√©cnica de diagn√≥stico ‚Äď o que significa que pode ser usada para descobrir onde h√° desequil√≠brios no corpo. Um reflexologista pode ent√£o atuar sobre estes desequil√≠brios para tratar uma vasta gama de dist√ļrbios. A reflexologia pode tamb√©m ser usada preventivamente, para manter o corpo funcionando bem.

Assim como as demais terapias complementares, a reflexologia dá bastante tempo para que os clientes falem sobre si mesmos com o terapeuta, o que permite uma compreensão melhor do próprio cliente e de seus problemas.

UM POUCO DE HIST√ďRIA

N√£o s√£o conhecidas as origens precisas da reflexologia, mas ela pode ter-se originado por volta da mesma √©poca da acupuntura ‚Äď cerca de 4.000 a.C. ‚Äď porque essas duas artes compartilham muito dos mesmos princ√≠pios.

E a reflexologia certamente estava em uso por volta de 2.330 a.C., como mostra o detalhe da pintura de parede da tumba de um médico em Saqqara, Egito. Contudo, é mais fácil pesquisar suas origens modernas.

Em 1917, um m√©dico dos EUA. Dr.William H. Fitzgerald, lan√ßou os fundamentos da ci√™ncia com sua ‚Äúterapia zonal‚ÄĚ. Esse procedimento postulava a exist√™ncia de 10 zonas de energia, dividindo o corpo da cabe√ßa aos p√©s. Ao aplicar a press√£o a certas partes dos dedos com suas m√£os e diversos dispositivos mec√Ęnicos, o Dr. Fitzgerald descobriu que ele poderia aliviar a dor em outras partes do corpo, na mesma zona.

A reflexologia baseia-se no princ√≠pio de que existem √°reas, ou pontos reflexos, nos p√©s e nas m√£os que correspondem a cada √≥rg√£o, gl√Ęndula e estrutura no corpo. Ao trabalhar nesses reflexos, o Terapeuta Hol√≠stico reduz a tens√£o em todo o corpo.

N√£o s√£o conhecidas as origens precisas da reflexologia, mas ela pode ter-se originado por volta da mesma √©poca da acupuntura ‚Äď cerca de 4.000 a.C. ‚Äď porque essas duas artes compartilham muito dos mesmos princ√≠pios.

Reflexologia

E a reflexologia certamente estava em uso por volta de 2.330 a.C.
como mostra o detalhe da pintura de parede da tumba de um
médico em Saqqara, Egito. Contudo, é mais fácil pesquisar suas
origens modernas.

Em 1917, um m√©dico dos EUA. Dr.William H. Fitzgerald, lan√ßou os fundamentos da ci√™ncia com sua ‚Äúterapia zonal‚ÄĚ. Esse procedimento postulava a exist√™ncia de 10 zonas de energia, dividindo o corpo da cabe√ßa aos p√©s. Ao aplicar a press√£o a certas partes dos dedos com suas m√£os e diversos dispositivos mec√Ęnicos, o Dr. Fitzgerald descobriu que ele poderia aliviar a dor em outras partes do corpo, na mesma zona.

Mas a ciência foi estabelecida em sua presente forma principalmente devido aos esforços de uma terapeuta americana chamada Eunice Ingham, incentivada inicialmente pelo Dr. J.S.Riley, o médico para o qual ela trabalhava. Eunice Ingham descobriu que os pés respondiam melhor à pressão do que as mãos, quando então passou a considerá-los como a principal área terapêutica. Desde o início da década de 30 até sua morte em 1974, Eunice Ingham trabalhou sem parar com o objetivo de desenvolver a reflexologia até se constituir na ciência de hoje. O Instituto Internacional de Reflexologia foi fundado em 1973 para levar adiante sua obra.

International Institute of Reflexology
P.O.Box 12642
St. Petersburg
Florida ‚Äď USA
FLA 33733-2642

Ninguém sabe exatamente como funciona a reflexologia, embora existam diversas teorias. O Instituto adere ao enfoque que considera que a energia está sempre fluindo através de canais ou zonas no corpo, que terminam formando os pontos reflexos nos pés e mãos. Quando esse fluxo de energia flui desimpedido, permanecemos saudáveis; mas, quando ele está bloqueado por tensão ou congestão, ocorre a doença.

Mediante o tratamento dos reflexos, os bloqueios são desfeitos, e a harmonia é restaurada a todos os sistemas.

Um tratamento reflexológico típico leva cerca de 30 a 40 minutos. Tratando um pé de cada vez, o terapeuta trabalha os reflexos da sola, lado e peito do pé, usando as técnicas digitais apropriadas.

A habilidade do terapeuta depende em grande parte de sua experi√™ncia ‚Äď demanda de tempo e pr√°tica para a detec√ß√£o dos reflexos que est√£o sens√≠veis e para o desenvolvimento da sensibilidade nos dedos do operador, para seu tratamento. Ap√≥s trabalhar algumas vezes num reflexo doloroso, voc√™ o deixa para tratar outro reflexo, retornando em seguida para se concentrar naquele primeiro reflexo at√© que a dor n√£o seja mais aguda. Contudo, poder√£o ser necess√°rias v√°rias sess√Ķes at√© que a sensibilidade desapare√ßa por completo. Em sua ansiedade de livrar-se da dor, n√£o trabalhe excessivamente num reflexo.

O principal benef√≠cio da reflexologia √© o relaxamento. Mas, ao reduzir a tens√£o, voc√™ tamb√©m melhora a irriga√ß√£o sangu√≠nea, faz aflorar um funcionamento nervoso desimpedido e restabelece a harmonia, ou homeostase, entre todas as fun√ß√Ķes do corpo. Considerando que a maioria das doen√ßas modernas tem como origem os efeitos do stress, num tratamento de reflexologia ministrado por um terapeuta hol√≠stico qualificado pode trazer enormes benef√≠cios para uma ampla gama de condi√ß√Ķes.

O SISTEMA ZONAL

A Reflexologia baseia-se na existência no corpo de um sistema de zonas ou canais longitudinais (verticais) e transversais (horizontais). Os reflexologistas têm acesso à energia do corpo através das zonas, para estimular o corpo e eliminar qualquer congestionamentos que possam estar causando desequilíbrios energéticos.

Zonas longitudinais: As dez zonas longitudinais descritas pelo Dr.William H. Fitzgerald, sobem dos pés até a cabeça, e descem pelos braços e mãos. Tais zonas poderiam também ser descritas ao contrário, como saindo das mãos, subindo pelos braços e chegando a cabeça, e então descendo pelo corpo até os pés.
H√° cinco zonas do lado direito do corpo e cinco zonas do lado esquerdo: a zona 1 ligando o ded√£o do p√© (h√°lux ou 1¬ļ dedo) ao polegar; a zona 2, o segundo dedo do p√© e o indicador; a zona 3, o terceiro dedo do p√© e o dedo m√©dio da m√£o; a zona 4, o quarto dedo do p√© e o dedo anular; e a zona 5, o dedinho do p√© e o m√≠nimo. As zonas s√£o segmentos ao longo do corpo que t√™m largura igual em cada se√ß√£o do corpo.
No interior de cada zona, há um fluxo de energia que corre por todas as partes do corpo situadas na mesma zona. As zonas se estendem para os pés e para as mãos, assim as zonas reflexas que correspondem as diferentes partes do corpo serão encontradas nas mesmas zonas dos pés e mãos. Segundo esse prisma, é fácil mapear as áreas do corpo que correspondem aos pontos reflexos apropriados nos pés e nas mãos.

Reflexologia

AS ZONAS LONGITUDINAIS NOS P√ČS
Cada um dos pés representa uma zona que
avança por todo o comprimento do corpo

ZONAS TRANSVERSAIS

A zonas transversais s√£o identificadas nos p√©s, tendo sido descritas originalmente por Hanne Marquardt, uma terapeuta alem√£. Tais zonas ou regi√Ķes mostram como tr√™s n√≠veis do corpo, correndo horizontalmente, podem ser encontrados nos p√©s ‚Äď delimitados pelos ossos do p√©. Os tr√™s n√≠veis s√£o a cintura escapular, a cintura e a cintura p√©lvica.

Existem 26 ossos nos pés:

  • 14 falanges, encontradas nos dedos;
  • 5 metatarsos, abaixo dessas;
  • 7 tarsos.
  1. o nível da cintura escapular é onde as falanges se encontram com os metatarsos;
  2. o nível da cintura fica a meio caminho do pé, onde os metatarsos se encontram com o tarso;
  3. o n√≠vel da cintura p√©lvica √© uma linha imagin√°ria atravessando os tarsos entre os ossos do tornozelo. Essas regi√Ķes transversais ajudam a dividir o p√© para identificar mais claramente quais partes do p√© se relacionam a tais partes do corpo.
MERIDIANOS

Alguns especialistas alegam que a reflexologia trabalha não com as zonas longitudinais, mas com meridianos encontrados no corpo, uma vez que estes se estendem para os pés e as mãos. Os meridianos são usados como base para muitas práticas das Terapias Tradicionais Chinesas.

Sabemos que os orientais defendem a teoria da exist√™ncia de energia, Ki ou Chi, existindo assim o MACROCOSMO (Universo), e o MICROCOSMO (homem), al√©m da exist√™ncia de duas for√ßas opostas, Yin e Yang, que se complementam. Dentro desta teoria, o homem est√° com os p√©s na terra e as m√£os para o c√©u. A terra √© Yin e o c√©u √© Yang. Os meridianos Yang s√£o do c√©u e v√£o para a terra e os meridianos Yin s√£o da terra e v√£o para o c√©u. Como estas duas tend√™ncias s√£o opostas e complementares, atraindo-se, o homem √© um transformador de energias do c√©u e da terra. A energia Yang do c√©u percorre o homem, pelo plano dorsal, e busca a terra. A energia Yin da terra percorre o homem, pelo plano ventral, e busca o c√©u. 

Os caminhos ou linhas por onde passam a energia Ki s√£o chamados de MERIDIANOS (a energia KI desloca-se ao n√≠vel subcut√Ęneo, cujas linhas prefer√™ncias s√£o denominadas meridianos). Nestes canais imateriais condutores de energia diferenciada em variadas combina√ß√Ķes de Yang e Yin, os fluxos de energia se intercambiam alternadamente um sistema respons√°vel pela defesa, regula√ß√£o e resson√Ęncia do organismo em rela√ß√£o √†s influ√™ncias c√≥smicas. Sa√ļde, implica, em primeiro lugar, na circula√ß√£o adequada da energia vital atrav√©s dos meridianos.

Para visualizarmos melhor, vamos comparar este sistema com os metr√īs urbanos subterr√Ęneos. Os pontos de shiatsu s√£o como as esta√ß√Ķes de embarque de passageiros que se ligam √† superf√≠cie.

Os meridianos seriam as linhas ou trilhos por onde passa o fluxo eletromagnético, ou energia Ki.

Os doze meridianos usados em acupuntura, shiatsu e outros métodos, não são o mesmo que as zonas longitudinais, mas muitos de seus princípios são semelhantes. Os meridianos da acupuntura são linhas finas que correm pelo corpo num sistema claramente definido. Alguns reflexologistas chegam a trabalhar em pontos de acupuntura durante o tratamento. Falta provar se os reflexologistas e acupunturistas atuam sobre os mesmos pontos.

√ĀREAS DE ZONAS CORRELATAS

Como as dez zonas longitudinais passam ao longo do corpo e descem pelos bra√ßos e pernas, os bra√ßos e pernas s√£o considerados ‚Äúzonas correlatas‚ÄĚ, existindo um relacionamento especial entre:

  • ombro e cintura;
  • cotovelo e joelho;
  • pulso e tornozelo;
  • m√£o e p√©.

As áreas entre as juntas também podem ser correlatas, isto é, o braço se relaciona com a coxa e o antebraço com a perna. Existe uma ligação entre partes do mesmo lado do corpo: o cotovelo direito se relaciona com o joelho direito, e o punho esquerdo se relaciona com o tornozelo esquerdo.

Além disso, para atuar diretamente na área afetada, o reflexologista pode atuar numa área correlata, o que é particularmente interessante quando uma parte do corpo está inacessível ou extremamente dolorida.

Por exemplo, se o cliente está com o joelho direito extremamente dolorido, o cotovelo direito pode ser massageado usando-se as técnicas de pressão da reflexologia; no caso de um tornozelo esquerdo quebrado, o punho direito pode ser massageado para estimular o processo de cura.

COMO FUNCIONA A REFLEXOLOGIA

A exemplo de muitas Terapias Hol√≠sticas, a reflexologia n√£o √© comprovada por uma teoria cient√≠fica, a n√£o ser o fato de que as termina√ß√Ķes nervosas (70 mil na sola de cada p√©) s√£o estimuladas. Os reflexologistas acreditam que atuando nas zonas reflexas √© poss√≠vel equilibra o fluxo de energia nas zonas longitudinais do corpo, e, portanto, ajudar seu correto funcionamento.

  • ESTILOS DE VIDA
    Uma das causas mais comuns das doen√ßas √© o stress ‚Äď o efeito das press√Ķes cotidianas sobre nosso corpo, ao lado de outras influ√™ncias negativas, como a polui√ß√£o, os aditivos e agrot√≥xicos nos alimentos e a vida na cidade. Todos somos afetados pelo stress em diferentes n√≠veis e, como conseq√ľ√™ncia, muitos desenvolve diversos problemas f√≠sicos, entre os quais dor de cabe√ßa e enxaqueca, tens√£o na nuca, dor nas costas, dist√ļrbios digest√≥rios. Debilidades do sistema nervoso, press√£o alta, doen√ßas na pele e constantes gripes e resfriados.
  • ESTILOS MELHORES
    Embora a reflexologia n√£o possa prevenir o stress que ocorre na vida cotidiana, ela pode nos ajudar a lidar melhor com ele e nos sentirmos mais relaxados. Um dos importantes benef√≠cios da reflexologia √© o relaxamento. O tratamento √© hol√≠stico, ou seja, trata o corpo como um todo, n√£o um grupo de sintomas, e pode nos ajudar tanto f√≠sico quanto mentalmente. Os sintomas presentes no corpo devido ao stress podem ser aliviados e o efeito equilibrador do tratamento aumenta a sa√ļde como um todo, ao tratar das causas profundas dos sintomas isoladamente. Quando nos sentimos melhor fisicamente, nos sentimos tamb√©m psicologicamente, e uma sensa√ß√£o de maior bem-estar ajuda a reduzir os n√≠veis de stress e prevenir futuras doen√ßas. Depois do tratamento o cliente se sentir√° mais calmo, mais tranq√ľilo e mais otimista, e portanto mais capaz de lidar com o stress e as doen√ßas a ele relacionadas.
O TRATAMENTO

Antes de iniciar o tratamento, √© feito um hist√≥rico detalhado, a anamnese. O terapeuta prepara um hist√≥rico de caso completo, ou seja, tudo que houver para saber a respeito do cliente e sobre sua sa√ļde, desde seus sintomas f√≠sicos e das horas de sono, at√© todos os aspectos de sua vida, al√©m de seu estado emocional. Com isso, o terapeuta ir√° focalizar um tipo de tratamento mais adequado ao caso e determinar se a reflexologia ser√° o tratamento mais indicado.

O cliente se sentar√° numa confort√°vel cadeira reclin√°vel ‚Äď com as costas, o pesco√ßo e as pernas bem acomodadas, e com os p√©s elevados de modo que o terapeuta possa atuar sobre eles facilmente.

Se voc√™ n√£o tem uma cadeira dessas, pode adaptar seu cliente em uma maca comum e colocar, sob suas pernas, um tri√Ęngulo de espuma, conhecido como ‚Äúsuave encosto‚ÄĚ, encontrado em qualquer loja especializada em colch√Ķes. Tamb√©m se pode usar um edredom ou cobertor enrolado sob as pernas do cliente.

O primeiro passo será um exame dos pés, e então o terapeuta esfrega os pés com lenços umedecidos, para remover a sujeira superficial ou pra refrescar os pés num dia quente. Serão identificados sinais de pele áspera, calosidade, rachaduras entre os dedos, numa área de infecção, como verruga, e problemas nas unhas.

Os p√©s de seu cliente poder√£o ser massageados com um pouco de talco. O produto costuma ser usado no tratamento porque absorve a umidade, caso os p√©s estejam um pouco suados, e os torna mais macios se estiverem secos. Em lugar do talco, alguns terapeutas podem usar √≥leo, mas deve-se ter o cuidado de secar muito bem os p√©s de seu cliente para ele n√£o escorregar, principalmente se estiver de sand√°lias. A massagem geral aplicada ao p√© far√° com que o cliente se acostume com o toque do terapeuta e tamb√©m relaxe. Quando o cliente se acostumar a ter o p√© manipulado, o terapeuta explicar√° como ser√° feito o tratamento; ele tamb√©m ir√° tranq√ľiliza-lo em caso de apreens√£o quanto a dor. A reflexologia n√£o √© dolorosa. As √°reas sens√≠veis s√£o tratadas com suavidade e as sensa√ß√Ķes costumam ser mais de prazer que de sofrimento. Uma t√©cnica calmante muito precisa ser√° ent√£o aplicada a todos os pontos reflexos de ambos os p√©s.

COMO √Č FEITO O TRATAMENTO

A maioria das partes do corpo são duplicadas dos dois lados, esquerdo e direito, e os pontos reflexos para essas partes do corpo aparecerão praticamente na mesma posição em ambos os pés. Algumas partes do corpo são encontradas apenas de um lado. O coração, por exemplo, só será representado do lado esquerdo. O pulmão, do lado direito. As zonas reflexas situam-se nas solas, nas laterais e no dorso dos pés, e cada parte dos pés tem uma parte correspondente no corpo.

Existe um mapa do corpo espelhado na palma das mãos e na sola dos pés, dividido por zonas longitudinais e transversais. Cada parte do corpo tem uma zoma reflexa correspondente nos pés e nas mãos.

O tratamento costuma ser ministrado às zonas reflexas no pé direito primeiro e depois no esquerdo, embora isso possa diferir entre os terapeutas. Depois de trabalhar os dois pés, é dada atenção às zonas que afetam determinadas partes do corpo. A essa altura, ambos os pés podem ser trabalhados simultaneamente. Por exemplo, os reflexos do rim em ambos os pés podem ser estimulados para um melhor resultado.

MAPA DA REFLEXOLOGIA DOS P√ČS

Reflexologia
Reflexologia
Reflexologia
Reflexologia

O QUE SENTIMOS DURANTE A SESSÃO DE REFLEXOLOGIA?
  1. De acordo com as caracter√≠sticas pessoais de cada cliente, ser√£o experimentadas diferentes sensa√ß√Ķes. Quanto maior a sensibilidade, mais desequilibrada estar√° a parte correspondente do corpo;
  2. Em algumas zonas, a press√£o ser√° sentida, mas n√£o de maneira desconfort√°vel;
  3. Em algumas zonas, a press√£o poder√° parecer levemente desconfort√°vel;
  4. Em algumas zonas, a pressão poderá causar uma pontada aguda, quase como se fosse enfiada uma agulha no pé (esta é uma sensação passageira e logo será aliviada pelo terapeuta).
DURAÇÃO DO TRATAMENTO

Uma sess√£o de terapia dura cerca de uma hora, e ser√° dada uma vez por semana. Embora a melhora j√° possa ser sentida depois da primeira sess√£o, √© importante manter uma s√©rie de pelo menos tr√™s sess√Ķes para garantir que a melhore se consolide. Ficar√° evidente, depois de tr√™s sess√Ķes, se a condi√ß√£o do cliente reage ou n√£o √† reflexologia. Algumas pessoas gostam de retornar a cada 15 dias, ou no outro m√™s, para manter o corpo bem equilibrado. √Č muito importante que o tratamento seja feito em per√≠odos regulares.

POSS√ćVEIS REA√á√ēES EXPERIMENTADAS
  1. Sintomas do tipo resfriado, como nariz escorrendo, catarro e congest√£o dos seios paranasais s√£o sanados;
  2. Tosse, enquanto o muco √© eliminado dos pulm√Ķes e vias respirat√≥rias;
  3. Esvaziamento mais freq√ľente da bexiga;
  4. Esvaziamento mais freq√ľente dos intestinos; Flatul√™ncia;
  5. Dor de cabeça;
  6. Aumento de suor;
  7. Erup√ß√Ķes da pele ‚Äď algumas doen√ßas de pele pioram antes de melhorar;
  8. Bocejos;
  9. Cansaço;
  10. Aumento da energia.
COMO SEGURAR O P√Č

Ambas as m√£os s√£o usadas pelo reflexologista, com o polegar ou dedos de uma das m√£os aplicando a massagem e a outra m√£o segurando a √°rea que est√° sendo trabalhada.

A pressão é feita com a ponta do polegar. Conforme a pressão é aplicada, a unha é empurrada para trás, de forma a não se encostar ao pé massageado. A pressão é feita em cada ponto por um curto tempo antes de ir para o próximo ponto.

Se um ponto reflexo mostra uma sensibilidade especial, a pressão é reduzida, mas mantida no ponto por um momento até a dor passar. Se você tem um ferimento grave, procure um médico antes de receber o tratamento.

O polegar move-se para frente para trabalhar os pontos reflexos dentro de uma zona. O polegar é mantido inclinado durante todo o tempo. A pressão é aplicada sobre o ponto o ponto reflexo e então relaxada; o polegar é levantado um pouco para fora do ponto e então passa para o ponto e então passa para o ponto adjacente seguinte a ser massageado. Sempre que possível, o polegar deve ser mantido em contato com o pé, deslizando e não cutucando.

Em certas zonas, a presença de depósitos como que de cristais pode ser sentida logo sob a superfície da pele. Isso indica desequilíbrio e pode ser trabalhado rodando-se cuidadosamente a ponta do polegar sobre a região, o que ajuda a dispersar os depósitos.

Sempre segure o pé de maneira firme, mas gentil. Pode ser que você relute em aplicar uma pressão mais forte enquanto trabalha, mas com a prática irá aprender a ser firme sem ser grosseiro ou causar dor.

GUIA DE TRATAMENTO

O tratamento completo compreende trabalhar todas as zonas do p√© direito e depois todas as do p√© esquerdo ‚Äď o terapeuta come√ßa pelos dedos, trabalha cada se√ß√£o da sola do p√© e ent√£o passa para as laterais e o dorso do p√©.

A CABEÇA E O PESCOÇO

As zonas reflexas da cabeça e pescoço encontram-se na região dos dedos de ambos os pés e, além disso, a cabeça como um todo, pode ser representada na área do dedão de cada pé.

COLUNA VERTEBRAL

O reflexo da coluna vertebral encontra-se ao longo da face interna de ambos os p√©s, segundo a arcada √≥ssea do p√©, da lateral do ded√£o at√© a parte de tr√°s do calcanhar. Ao longo do reflexo da espinha est√£o os reflexos para a parte superior da coluna (regi√Ķes cervical e do pesco√ßo), reflexos dos ossos sacros e do c√≥ccix (base da coluna). O tratamento come√ßa na zona reflexa do alto da coluna e segue em progress√£o descendente at√© a extremidade inferior.

O PEITO

Os reflexos da região do peito podem ser encontrados na sola do pé, na área compreendida entre o nível da cintura escapular (grosseiramente a base dos dedos) e a zona do diafragma (ou cintura), que se situa imediatamente abaixo da planta de cada pé.

O ABDOME

A zona reflexa do abdome fica entre os n√≠veis do diafragma (logo abaixo da planta de cada p√©) e a pelve (a linha entre os ossos do tornozelo que atravessa o p√©). Nessa zona, est√£o os reflexos de partes do sistema digest√≥rio, incluindo o est√īmago, f√≠gado, ves√≠cula biliar e intestinos; parte do sistema urin√°rio, incluindo os rins e os canais da uretra (que drenam os rins); partes do sistema hormonal, incluindo o p√Ęncreas e as gl√Ęndulas supra-renais e o ba√ßo.

A PELVE

A região pélvica do corpo é representada no pé sobre a base do calcanhar e acima desta. O nível da superfície pélvica no pé segue por uma linha imaginária ao longo da base do calcanhar entre os ossos do tornozelo. Os reflexos relativos às áreas da pelve são também encontradas na borda exterior do pé.

OS MEMBROS

Os reflexos dos membros podem ser encontrados ao longo da face exterior do pé. Os membros localizados no pé direito representados no pé direito, e os membros do lado esquerdo são representados no pé esquerdo.

√ďRG√ÉOS REPRODUTORES E GL√āNDULAS

Na mulher, as zonas reprodutoras se referem aos ov√°rios, tubas uterinas e √ļtero, ao passo que no homem elas se referem aos test√≠culos, vasos deferentes, ves√≠culas seminais, gl√Ęndulas da pr√≥stata, uretra e p√™nis.

O SISTEMA LINF√ĀTICO

Os reflexos do sistema linfático encontram-se no dorso do pé, estendendo-se desde a base dos dedos até a linha dos tornozelos. Esta zona requer uma pressão mais leve do que a sola do pé.

O sistema linf√°tico corre paralelo ao sistema circulat√≥rio ao longo do corpo e √© composto de vasos linf√°ticos, linfonodos e √°reas espec√≠ficas do tecido linf√°tico. Este sistema faz parte do ‚Äúsistema imune‚ÄĚ.

REFLEXOS DAS MÃOS

Todos os reflexos encontrados nos p√©s s√£o tamb√©m encontrados nas m√£os, embora as m√£os n√£o costumem ser t√£o sens√≠veis a reflexologia quanto os p√©s ‚Äď provavelmente porque est√£o constantemente em uso e geralmente sem prote√ß√£o. O tratamento √© aplicado as m√£os do mesmo modo que nos p√©s e obedece as mesmas t√©cnicas.

Assim como nos pés, a mão direita corresponde ao lado direito do corpo e mão esquerda, ao lado esquerdo. Uma vez que as mãos são menores que os pés, os reflexos são representados em áreas menores, geralmente são mais difíceis de identificar com precisão.

As m√£os s√£o tratadas em casos em que o cliente tenha muita sensibilidade ou c√≥cegas nos p√©s, ou quando n√£o seja poss√≠vel trat√°-los devido a ferimentos ou infec√ß√£o. As m√£os podem tamb√©m ser √ļteis no autotratamento, se for dif√≠cil alcan√ßar os p√©s.

As zonas longitudinais presentes nos pés, e que correm ao longo do corpo, também aparecem nas mãos. As zonas transversais não são tão importantes nas mãos quanto nos pés e não podem ser facilmente relacionadas à estrutura óssea da mão.

O tratamento completo das mãos ocupará menos tempo que um tratamento completo dos opés, mas ainda assim poderá ser eficaz.

AUTOTRATAMENTO

Embora seja melhor receber o tratamento de um terapeuta qualificado, é possível tratar de certos desequilíbrios energéticos atuando sobre as zonas reflexas de seus próprios pés ou mãos.

QUANDO NÃO SE AUTOTRATAR

Em certos casos, n√£o √© adequado receber o tratamento da reflexologia, ou o terapeuta ir√° administrar o tratamento com um cuidado adicional. Nesses casos, n√£o se recomenda que voc√™ tente tratar a si mesmo. N√£o experimente praticar a reflexologia em casa sob alguma das condi√ß√Ķes abaixo:

  • Infec√ß√£o aguda;
  • Diabetes (a postura pode prender a circula√ß√£o de retorno);
  • Epilepsia (√© bom tomar cuidado com crises. Salvo se estiver em tratamento neurol√≥gico);
  • Problemas card√≠acos (a postura pode dificultar a respira√ß√£o);
  • Osteoporose (a postura pode causar algum dano aos ossos fracos);
  • Flebite ou trombose (a postura pode prender a circula√ß√£o de retorno);
  • Gravidez (idem);
  • Cirurgia de reposi√ß√£o (a postura pode prejudicar a cicatriza√ß√£o e o restabelecimento).

LINK - P√ČS LINDOS IMPEC√ĀVEIS... E SEDUTORES
REVISTA LES NOUVELLES ESTH√ČTIQUES

BIBLIOGRAFIAS RECOMENDADAS
  • Reflexologia Energ√©tica: Massagem para os p√©s ‚Äď Alberto Feliciano e P√≠er Campadello ‚Äď Madras Editora Ltda.;
  • O livro do Do-in ‚Äď Michio Kushi ‚Äď Editora Ground;
  • Reflexologia ‚Äď Guia Pr√°tico ‚Äď Nicola Hall ‚Äď Editora Avatar;

OBSERVA√á√ēES
  • Dependendo do n√ļmero de interessados nos Cursos, o CECTH reserva-se ao direito de alterar datas, hor√°rios ou mesmo cancelar o programa;
  • Vagas limitadas ‚Äď Favor confirmar a inscri√ß√£o at√© uma semana antes do in√≠cio do curso pretendido;
  • Nossos cursos enquadram-se na categoria de CURSOS LIVRES, n√£o estando, pois, sob a tutela do MEC (Minist√©rio da Educa√ß√£o), n√£o sendo reconhecido por este, inexistindo tal obrigatoriedade nesta classifica√ß√£o;
  • Em poder de nosso certificado, o profissional poder√° montar seu pr√≥prio consult√≥rio, trabalhar em hospitais, cl√≠nicas, academias, fazer atendimentos a domic√≠lio, etc;
  • Pr√°tica supervisionada em nosso AMBULAT√ďRIO;
  • Possibilidade de participa√ß√£o nos projetos de "RESPONSABILIDADE SOCIAL" de nossa empresa;


GOSTAR√ćAMOS DE AGRADECER A TODOS NOSSOS AMIGOS A AUTORIZA√á√ÉO PARA EXPOSI√á√ÉO DE SUAS IMAGENS EM NOSSO SITE.


OBSERVAÇÃO IMPORTANTE

Todas estas técnicas são alternativas,
para a melhoria de sua qualidade de vida,
não devendo substituir o tratamento médico.

Você é muito importante para nós!!!

AMBULAT√ďRIO - Visite nossos Ambientes de Aprendizagem

A bibliografia que utilizamos para desenvolver esta página é encontrada no link BIBLIOGRAFIA neste site.


DADOS PARA DEP√ďSITO BANC√ĀRIO

Após realizar o depósito, entrar em contato conosco através do telefone (21) 3155-7984 / 99628-6385
Fazemos um convite para que venha conhecer nossas instala√ß√Ķes antes de efetuar o dep√≥sito.

BANCOS PARA DEP√ďSITO EM CONTA CORRENTE

Favorecido: CECTH ‚Äď Centro de Estudos do Corpo e Terapias Hol√≠sticas S/C Ltda.

BANCO ITAU

Ag. 6104 CC: 78134-6

 

Aceitamos:

visa